Filtrar por

  • até

Protesto contra a intenção de privatizar o maracanã acontece neste sábado

cityname-rio-de-janeiro

Abraço simbólico contra a privatização do Maracanã

Um abraço simbólico realizado neste sábado (3/12) no estádio Jornalista Mário Filho marcou o primeiro ato público da campanha “O Maracanã é Nosso”. O ato foi convocado por Integrantes do Comitê Popular da Copa e das Olimpíadas e do movimento Meu Rio. O objetivo da manifestação foi protestar contra a intenção do governo do estado de entregar à iniciativa privada a gestão do Maracanã, que está sendo reformado para a Copa do Mundo de 2014.

Marcos Alvito, integrante do comitê, disse que a reforma do estádio, que vai custar cerca de R$ 900 milhões, está sendo feita com dinheiro público. “O pensamento do Comitê Popular da Copa e das Olimpíadas é que o Maracanã é um bem público, é um patrimônio de todos os cariocas e dos brasileiros. É até um patrimônio da humanidade, que a gente não pode gastar R$ 1 bilhão de dinheiro público no Maracanã e entregar à iniciativa privada. Quer dizer, o Estado fica com o prejuízo e a iniciativa privada, com o lucro”, disse.

Os ativistas enumeram cinco pontos centrais para as críticas. As reformas atuais são orçadas em R$ 1 bilhão, mas de 1999 a 2006, foram contratadas despesas da ordem de R$ 400 milhões que prometiam deixar o Maracanã pronto para uma competição internacional. Os investimentos anteriores são um dos argumentos para criticar a concessão.

O comitê ainda teme a “elitização” e “europeização” do Maracanã, com risco de elevação de preços de ingressos e perda da “cultura de torcedor” brasileira. Eles criticam a redução da capacidade do estádio de 100 mil lugares “com segurança” até recentemente, para a metade disso com “cadeirinhas acolchoadas”, nas palavras da convocação do protesto. Eles defendem a adoção de preços populares e um projeto que preveja mais gente dentro do estádio.

A descaracterização arquitetônica do Maracanã – que, de acordo com o comitê, “não pode virar shopping center” – também é criticada.

Com Informações da Agência Brasil e da Rede Brasil Atual

2 respostas a Protesto contra a intenção de privatizar o maracanã acontece neste sábado

  1. Maurício disse:

    Parabéns pela iniciativa. Mais um exemplo cristalino de corrupção e desmandos, no favorecimento de entidades privadas em detrimento do patrimônio público.
    Agora vem uma campanha com maestria na arte da hipocrisia: A Coca-Cola vem a público, mui preocupada com a sustentabilidade e respeito (sic) pelo meio-ambiente, conclamar os brasileiros mansos a fornecerem ( gratuitamente) garrafas pet para a manufatura de 70 mil cadeiras no novo Maracanã privatizado. À frente da campanha, o supra-sumo da demagogia midiática: Luciano Huck.

  2. Márcia Reis disse:

    Os mesmos que movem a campanha que diz que futebol não é e não deve ser prioridade movem a campanha contra a concessão do Maracanã à iniciativa privada (há muita diferença entre conceder e vender ou privatizar, mas não vou nem entrar nisso). Muita incoerência, me parece! Não é importante mas não pode conceder à iniciativa privada? Explica aí …

Deixe uma resposta para Maurício Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *